Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Projeto do IFTO de Formoso do Araguaia foca em turismo sustentável

Notícias

Projeto do IFTO de Formoso do Araguaia foca em turismo sustentável

Acessibilidade no turismo

Para a realização das ações do projeto, foi firmada parceria com a Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Juventude
por Thâmara Filgueiras publicado: 13/03/2024 18h20 última modificação: 14/03/2024 15h27
Exibir carrossel de imagens Estudantes, sob orientação de professor, participam de oficina de análise documental por meio de fotos

Estudantes, sob orientação de professor, participam de oficina de análise documental por meio de fotos

Tornar os espaços turísticos do município de Formoso do Araguaia mais acessíveis é o objetivo central de um projeto realizado por uma equipe do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) do município. A iniciativa, que realiza ações desde o início de 2023, vai agora para outra fase. É que foi formalizada uma parceria entre o IFTO de Formoso do Araguaia e a Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Juventude com o objetivo de ampliar as ações do projeto de maneira estratégica.

A proposta utiliza a tecnologia para divulgar e tornar mais acessíveis as informações sobre os potenciais turísticos do município. O projeto "Inovação tecnológica e turismo em Formoso do Araguaia" já concluiu duas etapas: a primeira, consistiu em um levantamento dos pontos turísticos da localidade e contato com proprietários, no caso daqueles que estão em propriedades privadas para que fosse elaborado o mapa turístico do município.

Já a segunda etapa, concentrou-se em aspectos ligados à história e memória, em que buscou-se aprofundar o turismo histórico e patrimonial. Nesse sentido, foram realizadas pesquisas dos espaços, das pessoas, de imagens e documentos históricos que pudessem ser utilizados para compor o material informativo dos pontos turísticos.

As informações vão ser utilizadas em dois produtos: um site, que vai apresentar pontos turísticos que a comunidade elegeu como mais relevantes, e a criação e instalação de placas de identificação nos pontos turísticos, que utilizarão QR Codes para direcionar as pessoas para informações detalhadas no site.

A estudante Fernanda Soares, que participa do projeto, acredita que a iniciativa tem muito a agregar para comunidade do Formoso do Araguaia. "Ele traz ideias que podem ser mais  trabalhadas não só na cidade, mas no nosso estado. A proposta de construir um site que contribua para o turismo na cidade pode não só alavancar a economia do município, mas inspirar os jovens da comunidade a entender que tem algo a mais lá fora", disse a estudante.

O estudante David Samuel Dias de Jesus, participa do projeto e foi designado como líder da equipe que construiu a versão beta do site. Contudo, ele participou de várias atividades desenvolvidas no âmbito do projeto e conta que atuar no projeto foi uma "experiência incrível". "Realizamos entrevistas, pesquisas e muitas outras atividades. Essa oportunidade me permitiu aplicar na prática todos os conhecimentos adquiridos durante o curso técnico, melhorando cada vez mais minhas habilidades em programação, trabalho em equipe e enriquecendo, assim, minha carreira profissional", contou o estudante.

Assim como o David, todos os estudantes das 1ª, 2ª e 3ª séries do curso técnico de Informática Integrado ao Ensino Médio participaram de todas as etapas do projeto e orientados por uma equipe de professores específicos do curso e da base geral. O projeto é coordenado pela professora Rosângela Lopes da Silva e pelos professores Juliano de Oliveira Rosa Neves, Idomeneu Gomes de Souza Filho e Vitor Mendes Vilas Boas.

"Trabalhar neste projeto integrador foi uma experiência incrível. Aprendi muitas coisas e cada professor envolvido contribuiu de maneira única e significativa, não apenas para o sucesso do projeto, mas também para desenvolvimento pessoal da turma", completou David.

Mais sobre o projeto

Rosângela Lopes da Silva, que é uma das coordenadoras do projeto, explicou que este é um projeto integrador, ou seja, uma disciplina que visa resolver alguma demanda da comunidade, aliando conhecimentos teóricos e práticos. Para isso, os estudantes ganham mais conhecimentos teóricos e alia-os à prática daquilo que aprendem no curso. 

Assim, todos os estudantes participaram de uma etapa preliminar que consistiu em aprender como desenvolver um projeto de pesquisa; que metodologias poderiam ser adotadas para o desenvolvimento das ações do projeto; como realizar entrevistas com as comunidade e desenvolver uma pesquisa iconográfica foram alguns dos conceitos adquiridos para, depois, passaram à parte prática.

"Como são estudantes do ensino médio integrado, primeiro, eles precisam aprender a fazer para, depois, colocar em prática o que aprenderam, executar o projeto em si. Como eles mudam de série, a cada ano uma turma passa por essa parte de formação teórica, que é importante para que eles desenvolvam bem a parte prática", explicou a professora.

Próximas etapas

Ela adiantou, ainda, que neste ano, a equipe do projeto iniciará a etapa de afinamento do site, que, nesse momento, está na versão beta. A ideia é torná-lo dinâmico e interativo. Mapa dos pontos turísticos e da infraestrutura de apoio, com fotos, vídeos, entrevistas, documentos históricos, além de descrição em áudio acessível para pessoas surdas e com deficiência auditiva aguda são alguns dos conteúdos que comporão o site. No próximo ano, será a vez da criação e instalação das placas de sinalização com os QR Codes nos pontos turísticos em si.