Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Mostras tecnológicas, palestras e degustação de alimentos marcam o primeiro dia de programação

Notícias

Mostras tecnológicas, palestras e degustação de alimentos marcam o primeiro dia de programação

IFTO na Agrotins

O IFTO contará com um estande de 900m²
por publicado: 11/05/2022 10h00 última modificação: 13/05/2022 12h02

O Instituto Federal do Tocantins (IFTO) estará presente na 22ª Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins - Agrotins 2022, que neste ano terá como tema "Integrar, Intensificar para Preservar". O evento será entre os dias 10 e 14 de maio no Parque Agrotecnológico do Tocantins, na região sul de Palmas.

O IFTO conta com um estande de 900m², local em que serão apresentados à comunidade importantes pesquisas, projetos de extensão, estudos e inovações tecnológicas desenvolvidas por estudantes e servidores da instituição, além de palestras e oficinas. A programação é aberta a toda a comunidade. 

O primeiro dia de programação contará com as seguintes palestras: 

Dia 11/5, às 9h: Palestra "Desempenho de linhagens de soja à região de baixa latitude": Existem no mercado diversos tipos de genótipos de soja, ou seja, de tipos de grãos com características genéticas específicas, mas nem todos adaptam-se bem a qualquer região. Características como tipo de solo, clima, pressão entre outras podem influenciar o cultivo da soja. Nesta palestra, o professor da unidade de Araguatins Leonardo Corrêa vai falar sobre o comportamento das diferentes linhagens de soja de acordo com as características regionais, tendo como foco aquelas que são mais adequadas à região norte do Tocantins. O objetivo é abordar o desenvolvimento da cultura da soja com vistas a contribuir para a sua expansão para outras regiões do país, de maneira que garanta uma boa produção sem que haja a necessidade de mais investimentos pelo produtor. 

Dia 11/5, 10h15: Palestra "Manutenção de Sistemas Agroflorestais": O objetivo é mostrar como uma produção rural pode ser ao mesmo tempo lucrativa e sustentável. Desse modo, o professor da unidade de Araguatins Miguel Camargo vai falar sobre a experiência de duas propriedades rurais que implantaram Sistemas Agroflorestais (SAFs). Na prática, a ideia é ter várias espécies de plantas em um só ambiente visando o equilíbrio ambiental. As duas propriedades rurais funcionam como modelo para que outros produtores rurais se inspirem nessas experiências e se sintam estimulados a adotar a ideia de SAFs em suas propriedades. O conceito integra o campo da Agroecologia, tema que está incluído na palestra. 

Ainda na quarta-feira, 11, o público visitante poderá conferir, ao longo do dia, as seguintes mostras tecnológicas: 

Dia 11/5: Projeto SICAR: Trata-se de apresentar um passo a passo diretamente no sistema SICAR, onde o estudante aprenderá, de forma prática, como efetuar um Cadastro Ambiental Rural (CAR) em propriedades de agricultores tradicionais do município de Araguatins, contribuindo assim, com a comunidade do Bico do Papagaio. Diante da necessidade de conscientização ambiental, muitas leis e normas tratam as questões ambientais tendo o SICAR como a ferramenta utilizada para cadastrar, confeccionar e armazenar dados ambientais. Nesse sentido, o projeto visa atender esta demanda, de modo que  os estudantes aprendam, na prática, como utilizar o sistema SICAR e suas ferramentas, tornando-os, desta forma, aptos a realizar um Cadastro Ambiental Rural e se tornarem agentes multiplicadores.

Dia 11/5: Projeto "Monitoramento da qualidade do ar na cidade de Araguatins": Este trabalho de pesquisa tem o objetivo de diagnosticar a qualidade do ar atmosférico da cidade de Araguatins - TO, através da plataforma arduíno e do uso de sensores que detectam o nível de CO2, a temperatura e a umidade relativa do ar do ambiente. Neste trabalho será construído um instrumento de monitoramento de dióxido de carbono (IMCo2), a partir do uso de uma plataforma arduíno,  somado aos sensores de gases para a detecção de dióxido de carbono (MG811), temperatura e umidade relativa do ambiente (SHT 15), ligados a um computador. A partir desse projeto, serão obtidas curvas de calibração, por meio da qual será possível obter uma equação de correção dos sensores utilizados. Os dados serão registrados a cada 3 minutos e acompanhado por um software em tempo real. Os resultados da concentração de CO2 , da temperatura e umidade relativa do ambiente permitirão diagnosticar a qualidade do ar da cidade de Araguatins - TO e analisar as mudanças climáticas pela qual a região do extremo norte do Tocantins tem passado.

Dia 11/5: Projeto de extensão EngeAgro: O objetivo principal do EngeAgro é transmitir e discutir conhecimentos relacionados à agropecuária e ao agronegócio através de eventos presenciais e on-line. Com isto, o projeto promove informação, discussão e conhecimentos para as pessoas ligadas ao setor agropecuário e agronegócio, divulgação da instituição, desenvolvimento de habilidades e responsabilidades profissionais aos membros da equipe. Atualmente, a equipe do projeto conta com um professor coordenador; dois professores colaboradores; uma jornalista; um técnico em agropecuária; sete estudantes do curso de Engenharia Agronômica e dois estudantes do ensino médio/técnico em Agropecuária, todos da unidade de Araguatins.

Dia 11/5: Espaço ÉDAFOS: Trata-se do Grupo de Estudos e Pesquisa em Ciência do Solo e Nutrição de Plantas. O grupo é voltado para o ensino, pesquisa e estudo dos temas relacionados ao entendimento da área de solos: formação, classificação, fertilidade, distribuição, etc. O grupo iniciou as atividades no ano de 2021 com intuito de fortalecer o campo científico da área na região em que está inserido, o ecótono Cerrado-Amazônia. Em virtude da necessidade do uso consciente dos recursos naturais, o ÉDAFOS surge como uma ponte entre uso e conhecimento dos solos na região.

Dia 11/5: Compostando Resíduos em Adubos orgânicos: trata-se de uma mostra de composteiras domésticas que podem ser utilizadas no ambiente domiciliar para a compostagem de resíduos orgânicos, como restos de frutas, vegetais e outros produtos, que são transformados em adubos orgânicos. 

Dia 11/5: Bandejas sustentáveis produzidas a partir de fibras de coco babaçu e amido: Com o objetivo de fornecer uma alterativa às bandejas descartáveis de isopor, amplamente utilizadas para o acondicionamento de alimentos, uma equipe da unidade de Araguaína estuda a utilização do amido extraído da fécula de mandioca e da fibra do coco babaçu - muito abundante na região norte do Tocantins - para a fabricação de bandejas sustentáveis. O projeto, que está em fase inicial, já tem o seu primeiro protótipo. A equipe já estuda como melhorar esse primeiro produto, focando no aumento da resistência do objeto. Paralelo a isso, o projeto contribui para a economia circular da região, pois conta com a parceria da Cooperativa Multifuncional de Economia Solidária (Coomesol), de Xambioá. 

Dia 11/5: Degustação de alimentos: Para demonstrar o potencial produtivo que pode ser explorado, professores e estudantes apresentarão no estande do IFTO os produtos resultados de experiências feitas durante as aulas. Entre os produtos estão os de origem de caprinos, como leite e queijo; os embutidos de origem suína, que contam com o diferencial de terem o teor de sódio reduzido, e de origem de ovinos, como o salame de cordeiro; e uma novidade que será apresentada na Agrotins: um salame de peixe, feito do filé e da polpa de peixe.        

Na quinta-feira, 12, o público visitante poderá conferir, ao longo do dia, as seguintes mostras tecnológicas: 

Dia 12/5: Fish App Rescue: A utilização de ferramentas digitais como aplicativos (APP) pode otimizar a coleta das informações, permitindo uma maior agilidade e organização das informações. Hoje as equipes de resgate realizam seus trabalhos anotando algumas poucas informações em formulários impressos, tais como a espécie, número de animais mortos e a data. Tais informações são posteriormente lançadas em uma planilha eletrônica para fins de controle e envio aos órgãos de fiscalização. Como forma de atender a essa demanda tecnológica, este projeto permitirá a otimização dos serviços de resgates de peixes mortos nas imediações de usinas hidrelétricas (UHEs). 

Dia 12/5: Condutividade Elétrica: A variabilidade dos solos atualmente é um dos grandes desafios da agricultura de precisão. Desta forma o objetivo deste projeto é mapear e avaliar a variabilidade da CEs, medida por meio de sensor de contato (Veris) e correlacionar os valores obtidos com a textura e a presença de cascalho nos solos no Tocantins. O experimento será realizado na fazenda do IFTO, na unidade de Pedro Afonso, em dois tipos de solos diferentes. Serão realizadas em duas áreas distintas: amostragens do solo em malha de 10x10m e posterior leitura de Condutividade Elétrica do solo com o equipamento Veris 3100. Com os resultados, deseja-se correlacionar a textura do solo e a de cascalho com a condutividade elétrica do solo. Este trabalho é inovador na área de agricultura de precisão no estado do Tocantins e visa o aumento da produtividade nas áreas tocantinenses que estão em plena expansão agrícola.

Dia 12/5: Manejo cultural da melancia no Tocantins: O projeto objetivou a condução de um cultivo de melancia na unidade de Colinas do Tocantins, para posterior elaboração e distribuição de materiais técnicos e didáticos. A execução do projeto foi baseada em uma revisão bibliográfica da produção de melancia e no cultivo da cultura a campo com registro de imagens e vídeos de todas as etapas de manejo. Além da doação dos frutos produzidos para instituições filantrópicas do município de Colinas do Tocantins, os registros e experiências da etapa de cultivo da melancia foram utilizados para a elaboração e edição de materiais técnicos sobre a produção da cultura na região, possibilitando a posterior utilização em atividades de ensino dos cursos do campus e do IFTO, além da distribuição de materiais técnicos para produtores rurais e demais interessados. Regionalmente, o projeto visou fomentar o interesse e auxiliar na capacitação técnica de pequenos produtores da região de Colinas do Tocantins, incentivando a produção de uma cultura que proporcione maior renda familiar, novas oportunidades no mercado local e melhoria dos sistemas produtivos. 

Dia 12/5: Biocompostagem no Campus Paraíso: O projeto teve como objetivo a construção de um biodecompositor que utiliza resíduos orgânicos para a produção de um biofertilizante. A iniciativa de um grupo da unidade de Paraíso do Tocantins é totalmente autossustentável. Isso porque a matéria-prima são os resíduos orgânicos gerados pelo fornecimento de alimentação saudável aos estudantes, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A partir da biocompostagem, é gerado um fertilizante biológico, que depois é aplicado nas hortas do campus, onde são cultivados alguns dos produtos que estão incluídos no programa alimentar. O biocompositor utilizado para a produção do fertilizante também foi construído a partir do reaproveitamento de materiais em desuso e estará exposto na Agrotins. 

Dia 12/5: Projeto Controla+: Com o objetivo de inserir no mercado agrotóxicos mais seguros e eficazes e menos agressivos, o projeto fornece consultoria para empresas fabricantes de defensivos agrícolas. O serviço prestado por uma equipe da unidade de Lagoa da Confusão inclui a testagem de moléculas que possam agir no controle de pragas, plantas daninhas e doenças que afetam plantios de culturas variadas. O IFTO, enquanto instituição credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, certifica novos agrotóxicos, que devem atender às normas em vigência e, após todo o processo de avaliação, serão disponibilizados para comercialização. 

Dia 12/5: Projeto Tour virtual 360: A Realidade Virtual, também conhecida como multimídia imersiva ou realidade simulada, é uma tecnologia computacional que replica um ambiente, real ou imaginário, e simula a presença física de um usuário de forma que lhe permita interagir com tal ambiente. A realidade virtual cria artificialmente uma experiência sensorial, que pode incluir visão, tato, audição e olfato. Atualmente este recurso é utilizado em diversas áreas, pois possibilita além da imersão, a visualização de um ambiente de forma remota. Desse modo, a unidade de Paraíso do Tocantins criou um tour virtual, por meio do qual o usuário pode percorrer os corredores e conhecer os departamentos, laboratórios e unidades de produção da unidade. A ferramenta é uma criação coletiva e foi desenvolvida por estudantes e servidores de diferentes áreas do conhecimento. O tour é uma forma de representação geográfica da unidade, pois apresenta o campus para a comunidade e reforça sua presença naquele território. 

Outras atividades

Além das palestras e mostras tecnológicas, o estande terá cursos, oficinas, workshops, exposições de animais, equipamentos e cultivares e mesas-redondas e o Encontro das Ciências Agrárias do IFTO.