Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Feira de economia solidária é utilizada como espaço didático-pedagógico na educação profissional

Notícias

Feira de economia solidária é utilizada como espaço didático-pedagógico na educação profissional

Aprendizagem

Ação teve a participação de estudantes do curso Técnico em Agropecuária Subsequente
por Kelinne Guimarães publicado: 26/09/2019 20h12 última modificação: 26/09/2019 20h12

Uma experiência enriquecedora para aquisição de conhecimento, assim pode ser definida a feira de Economia Solidária promovida pelos estudantes do II módulo do curso Técnico Subsequente em Agropecuária, da unidade Araguatins, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), na quarta-feira, 25, em frente ao terminal rodoviário de Araguatins, das 16h às 21h, no mesmo espaço da Feira Ecosol.

Os visitantes da feira aprovaram a iniciativa, adquirindo produtos produzidos pelos estudantes, como: bolos, doces, geladinhos gourmet frutas, além de roupas, acessórios como bijuterias, bolsas e cinto disponibilizadas em um bazar com valores que variavam entre R$ 2,00 e R$ 5,00 reais.

A iniciativa faz parte do projeto “Feiras de Economia Solidária como espaço didático-pedagógico na Educação Profissional e Tecnológica”, realizado juntos aos estudantes do curso Técnico Subsequente em Agropecuária nos meses de agosto e setembro deste ano, na disciplina de extensão rural e cooperativismo. O projeto é coordenador pela mestranda do ProfEPT, Eliscleia Alves, com a orientação do professor Raimundo Laerton Leite e em parceria com o docente Edvar de Sousa Silva, tendo uma abordagem teórica e prática de temas, como: economia solidária, cooperativismo, associativismo, a partir da utilização de metodologias ativas.

“No projeto sobre economia solidária tive a oportunidade de ter uma experiência maravilhosa, foi um momento de interação e troca com os feirantes e com as pessoas da comunidade que visitaram a feira que organizamos. Foi um momento em que eu me conscientizei que posso contribuir com um mundo mais justo e igualitário”, declarou Maria da Soledade da Conceição, estudante que participou do projeto.

Eliscléia Alves confirma os resultados positivos do projeto indicados por Maria da Soledade, e complementa que a feira foi marcada por momentos de trocas de vivências e interação dos estudantes com a comunidade de Araguatins.“Eles se engajaram na causa, realizaram uma excelente feira o que proporcionou ótimos resultados”, destacou Eliscléia.

Para o professor Edvar de Sousa Silva, a culminância do projeto a partir realização da feira superou as expectativas, tanto na participação dos estudantes como promotores da ação, quanto dos estudantes do 3º ano da unidade Araguatins, que estiveram presentes no evento. Edvar afirma que diante da repercussão da feira é possível afirmar que ela atendeu ao seu objetivo como atividade pedagógica na Educação Profissional Tecnológica. “Toda a interação proporcionada pela feira gera um conhecimento que não se encontra em livros ou apostilas, mas é fruto da nossa vivência e convivência”, finalizou o professor.

Toda a renda arrecadada na feira com a venda dos produtos será utilizada para aquisição de cestas básicas que serão doadas a famílias carentes de Araguatins.