Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Software desenvolvido no IFTO ganha proteção de propriedade intelectual

Notícias

Software desenvolvido no IFTO ganha proteção de propriedade intelectual

INPI

Registro garante titularidade pelos próximos 50 anos
por Mayana Matos publicado: 25/11/2021 16h30 última modificação: 25/11/2021 17h24

Resultante de trabalho de pesquisa feita no Instituto Federal do Tocantins (IFTO), o projeto FISH RESCUE APP - 2 adquiriu, neste mês de novembro, o Certificado de Registro de Software, concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). 

O software tem como principal objetivo proporcionar a montagem de um banco de dados relativo à ocorrência de morte de ictiofauna em usinas hidrelétricas (UHE). Tais informações produzirão elementos para que pesquisas futuras possam subsidiar a operação da UHE na tomada de decisões que visem minimizar os riscos à ictiofauna oriundos do funcionamento da mesma.

O Certificado de Registro de Software garante a titularidade da tecnologia para o IFTO por um período de 50 anos. A concessão faz parte dos processos para pedidos de registros de programa de computador e possibilita maior segurança jurídica e facilidade na prospecção de parcerias, bem como exploração da tecnologia. Confira aqui o Certificado de Registro de Software.  

Adriano dos Guimarães de Carvalho, professor no Campus Palmas, é o autor do projeto, que foi construído a partir de uma nova ferramenta de programação, a Ionic Framework/Cordova. Algumas vantagens dessa ferramenta são:

● É de código aberto e possui um poderoso conjunto de ferramentas e serviços disponíveis ao desenvolvedor;

● Possibilita uma continuidade de plataforma, pois a aparência do seu aplicativo não é de tamanho único;

● A tecnologia é toda baseada na web, se preferir o usuário pode até executar o seu aplicativo em um navegador de desktop como um aplicativo da web (mediante alguns ajustes);

● Já possui uma comunidade de desenvolvedores da web bastante grande, quando comparada a profissionais que constroem APPs apenas nativos;

● Os usuários têm uma ótima experiência através de plataformas e dispositivos, e o desenvolvedor tem um único código para se preocupar;

● Velocidade, construir para múltiplas plataformas a partir de uma única base de código, o processo é geralmente 2 a 3 vezes mais rápido do que o nativo;

● Possibilita acesso a quase todos os recursos nativos de um dispositivo, como a câmera ou o giroscópio, usando plugins nativos. O uso desses plugins não adiciona complexidade ao desenvolvimento;

● Eficiência, estima-se que o híbrido pode diminuir de 75-80% em custos de suporte e portabilidade em comparação com o nativo.

Vale ressaltar que a Diretoria de Inovação e Empreendedorismo do IFTO é responsável por assessorar os autores da propriedade intelectual no trâmite de exploração direta ou indireta por meio da licença ou transferência de direitos. O setor conta com apoio de uma equipe especializada nas áreas de projetos, negócios, empreendedorismo, inovação e, por meio do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), assessora os pesquisadores do IFTO e inventores independentes na proteção de suas criações.