Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Profissionais compartilham experiências e debatem integração de ações

Notícias

Profissionais compartilham experiências e debatem integração de ações

Grupos de Trabalho

GT voltado para gestores foi a novidade desta edição
por Thâmara Filgueiras publicado: 11/07/2017 18h30 última modificação: 14/08/2017 09h31

Construir e melhorar ações de trabalho por meio da troca de experiências tem sido a ideia central dos Grupos de Trabalho (GTs) que integram a programação do VII Seminário de Assistência ao Estudante. Os profissionais que participam do evento se dividiram em cinco grupos, de acordo com a área: Educacional, Gestores, Psicologia, Saúde e Serviço Social.

Aliada à partilha das práticas que cada profissional tem na sua unidade, os servidores discutiram a padronização dos serviços, conforme contou a psicóloga Milena Thomazi. "Nós discutimos a padronização de instrumentos, projetos, entre outras ações que vão colaborar, também, para fortalecer a categoria dentro da instituição, além de todos os profissionais estarem falando a mesma língua, por assim dizer", disse a servidora, que participou do GT Psicologia.

No GT Saúde, enfermeiros e técnicos em enfermagem de diversas unidades aproveitaram o momento para refletir sobre a importância da saúde no ambiente escolar. Questões como por que é necessário ter profissionais da saúde no campus e qual a atuação e a importância desses profissionais na unidade nortearam o debate. "As pessoas não entendem o que o profissional da saúde faz na unidade, então a gente precisa definir estratégias de divulgar nosso trabalho", acrescentou Tiara Cunha, enfermeira do trabalho que atua na Reitoria. Além disso, os participantes do GT aproveitaram a oportunidade para compartilhar as ações realizadas no âmbito das unidades e debater a padronização de procedimentos comuns a todos. 

O ingresso de estudantes por meio das ações afirmativas foi o tema do debate do GT Serviço Social, que também levantou questões referentes ao regulamento do Serviço Social. Durante o encontro, os profissionais conheceram mais detalhadamente a proposta do sistema Pescar - Programa de Estudo Sociocoeconômico-cultural de Acompanhamento da Realidade do Estudante. "Nós estamos trabalho na elaboração dos indicadores que vão compor as dimensões social, econômica, ambiental e cultural do sistema. Estes vão nos ajudar a classificar o nível de vulnerabilidade dos estudantes", explicou a assistente social Mara Cleide Oliveira dos Santos.

Os profissionais que participaram do GT Educacional focaram no combate à evasão, e propuseram ações que envolvem um maior monitoramento dos estudantes que já têm histórico de retenção, com acompanhamento das aulas de monitoria e maior envolvimento da família na vida escolar desses estudantes. "Participar desses eventos proporciona mais segurança profissional, pois o que adquirimos em conhecimento e experiência somam para a qualidade de nossa atuação no campus", é como pensa a auxiliar em assuntos educacionais Zeulina Martins.

Os gestores das áreas de ensino e de assistência estudantil também se reuniram no primeiro encontro do GT Gestores, e a retenção e a evasão foram o foco do trabalho. O diretor de Assuntos Estudantis, Higor Lira, apresentou uma contextualização da questão tanto no IFTO como no âmbito da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e um trabalho de referência desenvolvido nos Centro Nacional de Prevenção à Evasão dos Estados Unidos. "Nós conversamos sobre diversas estratégias, desde aprendizagem ativa, entre outras que foram apresentadas com o intuito de tornar o ambiente educacional mais atrativo, como trabalhar uma educação que agregue e proporcione um senso de pertencimento do estudante, pois acreditamos que, criando laços com os alunos, nós podemos combater a evasão", afirmou o Higor. O diretor-geral do Campus  Paraíso do Tocantins, Antonio da Luz, e o diretor do Campus Avançado Formoso do Araguaia, Demis Carlos, também participaram do GT Gestores.

Os resultados das discussões dos GTs foram apresentadas para todos os participantes, e, posteriormente, serão melhor trabalhados para serem colocados em prática.