Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Desempenho na OBR garante bolsas de Iniciação Científica Júnior a estudantes do IFTO

Notícias

Desempenho na OBR garante bolsas de Iniciação Científica Júnior a estudantes do IFTO

Robótica

Novos bolsistas foram destaque na competição nacional com o grupo de pesquisa Spartron Robótica, de Porto Nacional
por Greiciane Souza publicado: 25/11/2021 11h42 última modificação: 25/11/2021 11h43
Da esquerda para direita: Raíssa Gomes, Jéssica Melo e João Pedro Silva

Da esquerda para direita: Raíssa Gomes, Jéssica Melo e João Pedro Silva

Com informações da página oficial da Olímpiada Brasileira de Robótica

Primeiro, vieram as medalhas. Depois, a inédita classificação na etapa nacional. Agora, bolsas de Iniciação Científica Júnior do CNPq. Todas essas conquistas foram alcançadas pelo grupo de pesquisa Spatron Robótica, da unidade de Porto Nacional do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), depois do seu excelente desempenho na Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) deste ano.

O grupo é formado por Jéssica Melo e Raíssa Gomes, do curso técnico em Administração, e João Pedro Silva, do curso superior em Sistemas da Informação. Em 2021, além da ocupação com os assuntos ligados aos seus cursos, o trio também se dedicou bastante aos estudos sobre automação e à prática da robótica, como preparação para a OBR. Os resultados obtidos pela Spartron Robótica classificaram o grupo na 23ª posição entre as 156 equipes participantes. Com a classificação, os representantes do IFTO também se habilitaram a receber as bolsas de ICJ CNPQ/OBR em edital que abrangeu duas categorias: Simulação, pela qual o trio de Porto Nacional participou, e Apresentação.

A bolsa, no valor de R$ 100, terá vigência de doze meses e será paga no ano de 2022. Por tratar-se de um auxílio exclusivo a estudantes de ensino médio, o IFTO receberá apenas uma das três bolsas a que tem direito. Isso porque, do trio classificado, somente Raíssa Gomes continuará no ensino médio no próximo ano, enquanto Jéssica Melo conclui esse nível de ensino este ano e João Pedro Silva já está no ensino superior.

Para Raíssa Gomes, o recebimento da bolsa é mais um estímulo para seguir no caminho da pesquisa que, para ela, já traz uma perspectiva de crescimento e desafios. “O objetivo principal de se participar de um projeto é o conhecimento a ser adquirido, as experiências, mas realmente o incentivo aos estudantes por meio disso é muito significativo, pois reafirma a importância de buscarmos novos aprendizados e de continuarmos a nos dedicar”, afirmou a estudante.

O professor Demis Gomes é coordenador do grupo de pesquisa e vê com muita expectativa a continuidade dos trabalhos do projeto impulsionados pelos recentes resultados. “A bolsa será muito importante para incentivar a continuidade dos trabalhos iniciados na categoria de simulação em 2021, principalmente no avanço dos trabalhos envolvendo teoria de controle e inteligência artificial, além do próprio despertar pelas atividades de pesquisa e inovação”, explicou.


Sobre a Bolsa

A Bolsa Iniciação Científica Júnior – ICJ tem por finalidade despertar vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes do ensino médio e técnico da Rede Pública, mediante sua participação em atividades de pesquisa científica ou tecnológica, orientadas por pesquisador qualificado, em instituições de ensino superior ou institutos/centros de pesquisas.