Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Com ajuda do pai, estudante autista supera dificuldades e conclui curso de edificações no Campus Palmas

Notícias

Com ajuda do pai, estudante autista supera dificuldades e conclui curso de edificações no Campus Palmas

Inclusão

Darin e o pai cursaram juntos o Curso Técnico em Edificações no Campus Palmas.
por Eliane Vieira publicado: 12/04/2018 17h58 última modificação: 19/04/2018 13h23

No mês da conscientização sobre o autismo, o Campus Palmas, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), conta a história emocionante do estudante de 22 anos, recém-formado no Curso Técnico em Edificações da unidade, Darin Thopsom Oliveira. O estudante, que é portador da Síndrome de Asperger, caracterizada como um tipo de autismo leve, concluiu o curso no último semestre.

Darin teve a companhia especial do pai, Michel Penha David, de 48 anos, durante a realização do curso, que viu na chance de estudar junto com o filho a oportunidade de abrir para ele um novo mundo. “Eu sempre gostei de construção e o propósito principal era tentar  dar ao meu filho uma ajuda como pai, para que ele pudesse ter uma interação social melhor do que a que ele tem em casa, com vizinhos e amigos. Eu queria ajuda-lo nesse processo de interação social, pois sei que é muito difícil pra ele. Eu sinto que ele sofre por não conseguir ser quem ele gostaria de ser, se não fosse o asperger”, conta Michel emocionado.

O pai de Darin conta que o estudante melhorou sua interação social após o curso. “Se ele melhorasse 1%, pra nós já era uma vitória. E ele melhorou muito. Há dois anos foi uma evolução. Abriu novos horizontes e oportunidades”, destaca. Para Michel o Campus Palmas do IFTO foi uma segunda casa para ele e seu filho. “É muito honroso para nossa família ter uma instituição que valoriza esse comportamento e desempenha esse papel de se preocupar com aqueles que são minoria e nem sempre são vistos. Eu sou muito grato e honrado por nesses dois anos ter feito o sacrifício e ter conhecidos pessoas maravilhosas, que acolheram e respeitaram meu filho”.

Conforme conta o pai a preocupação maior da família de Darin, que mora em Miracema, sempre foi que ele tivesse oportunidade de se desenvolver. “Ele sempre teve aptidão para o desenho arquitetônico e estudar foi uma meta colocada em família e como família nós buscamos. O Darin foi aprovado em terceiro lugar aqui no Instituto e todos os outros membros da família também passaram. Nós dois para o curso de edificações”, lembra o pai orgulhoso. “Sempre gostei de desenhar, criar, projetar”, contou Darin, que revelou que a vontade de aprender mais sobre o tema veio devido ao pai ter muitas revistas de construção e desenhos. “Fui vendo e me interessando”.

Desenvolvimento surpreendente

Amigos de DarinDarin, que coleciona miniaturas de carros e jogos, conta que fazer o curso foi tranquilo. “Apesar das dificuldades foi tranquilo, eu gostei, só foi cansativo porque tínhamos que vir todos os dias de Miracema”. Durante o curso em parceria com o pai o estudante surpreendeu. “Foi surpreendente, pois ele é extremamente inteligente. Ele não anotava na sala de aula e nem gostava de estudar para as provas. Ele sabia tudo na cabeça dele e tirava boas notas. Em aguns trabalhos tirou a maior nota do grupo. Ele teve um pouco de dificuldade na parte teórica, mas no restante sempre surpreendeu”, conta o pai que revela que Darin acabou ajudando a ele com programas de maquetes eletrônicas. “Ele domina os programas de maquete eletrônica sem nunca ter feito um curso especifico. Eu compro os CDs, mas ele é autodidata e em muitas ocasiões me ensina, me ajuda”, enfatiza o pai, que recebe o agradecimento sincero do filho. “Se não fosse meu pai eu não teria feito o curso”, frisa.

Sonhos e novos desafios

Maquete da casa que Darins sonha construirApós a formatura Darin e o pai pretendem continuar os estudos. Darin quer chegar à faculdade de Arquitetura, já o pai pretende cursar Engenharia Civil. “Agora o mundo é dele”, destaca o pai, que pretende se mudar com toda a família para Palmas no próximo ano para que o filho possa chegar possa realizar o sonho. Perguntado sobre os sonhos para o futuro, Darin revela que sonha em ter uma casa própria, cujo projeto e maquete já estão prontos e foram feito por ele. O estudante revela ainda que sonha em ter um carro, uma BMW. “Ele sonha alto e nós acreditamos nele. Eu sei que Deus fez promessas para o meu filho e ele vai cumprir o que Deus propôs para ele”, afirma o pai.


Ensino inclusivo

Um dos professores de Darin durante o curso, o diretor-geral do Campus Palmas, Octaviano Sidnei Furtado, destaca a necessidade de qualificação para um ensino mais inclusivo. “Reconhecemos que temos que ter no ensino mais servidores que tenham uma formação mais próxima e humana. Que tenham o entendimento das necessidades especiais e levem ao corpo docente”, frisa o professor, que lembra também da importância de se respeitar as diferenças, mas sem fazer diferenciação entre os estudantes. “Eu sempre procurei trabalhar da mesma forma, sem diferenciação, o que precisa é ter uma compreensão maior, pois o estudante especial tem o tempo dele. O Darin me mostrou alguns projetos e ele tem uma capacidade muito grande, uma capacidade de criação muito maior do que diversos estudantes. Desta forma, o que tentamos foi adequar as atividades ao tempo dele. Por exemplo, o tempo de prova dele era o tempo dele, explica o professor”. 

Síndrome de Asperger

Caracterizada como um tipo de autismo leve, a síndrome de asperger tem entre seus aspectos a dificuldade nas interações sociais e na compreensão da comunicação não-verbal. Contando um pouco da história de vida de Darin, o pai lembra que o filho desde criança apresentava dificuldade de locomoção e interação. “Percebíamos que era diferente, percebíamos um pouco de atraso na coordenação motora. Procuramos muitos médicos, mas houve uma dificuldades grande de diagnostico”.

Darin só foi diagnosticado aos 14 anos, por um terapeuta amigo da família. “Esse amigo lá dos Estados Unidos me disse para estudar sobre o asperger e eu fui buscar. Dai vi que tudo batia e foi assim que descobrimos que ele era autista. Ficamos aliviados por saber o diagnostico e ao mesmo tempo preocupados porque tínhamos um filho autista leve e aqui no Tocantins, na época, não havia acompanhamento. Hoje o Darin tem consciência que é um aspingr, tem consciência que é nato e que não é uma doença. É uma síndrome. Nós Estudamos o que é o asperger e pudemos perceber as habilidades dele, e valorizar e incentivar. Esse é o tratamento”, ressalta o pai.

Para a família de Darin o conhecimento foi e é libertador. Foi o conhecimento que permitiu a autodescoberta de Darin, que não quer ter tratamento diferenciado na sociedade. “Nunca pedi para ninguém nesse mundo para me tratar diferente. Eu só peço respeito”, finaliza o estudante.

Curiosidade

Você sabia que muitas personalidades, referências em diversas áreas, também são autistas. É o caso do jogador de futbol, Lionel Messi, de Bill Gates, de  Vicent Van Gogh, de  Albert Einstein, de Isaac Newton, de Steven Spielberg e de Woody Allen, entre outros.