Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Campus Paraíso do Tocantins realiza semana de conscientização contra a violência, abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Notícias

Campus Paraíso do Tocantins realiza semana de conscientização contra a violência, abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

18 de maio

O tema da campanha é "Quem não denuncia também violenta" .
por Lúcia Gomes publicado: 15/05/2018 20h27 última modificação: 15/05/2018 20h27

Dia 18 de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e para marcar a data os setores de Psicologia e de Assistência Social do Campus Paraíso do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) estão promovendo, entre os dias 14 e 18, uma semana de conscientização sobre o tema.

A campanha tem por tema  "Quem não denuncia também violenta" e a partir disso é que os estudantes estão sendo orientados em sala de aula, por meio de palestras e panfletos explicativos, a respeito da importância de informar às autoridades quando souberem de casos de abuso sexual infantil.

De acordo com o psicólogo da unidade, Amarildo Cunha, essa ação é uma parceria do Campus Paraíso com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) da cidade e o objetivo da campanha é conscientizar toda a sociedade a defender crianças e adolescentes em situação de violência, abuso ou exploração sexual.

Entre as ações da semana, no dia 18 de maio, às 16:30, haverá também uma caminhada para lembrar a importância da data. Para os interessados, o ponto de encontro  é na Feira Coberta, localizada na Avenida Bernardo Sayão, 1301, centro de Paraíso.

18 de maio

De acordo a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA), a data foi escolhida como dia de mobilização contra a violência sexual porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade.