Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Atleta paralímpico participa de curso de Goalball do Estado

Notícias

Atleta paralímpico participa de curso de Goalball do Estado

Campus do Paraíso do Tocantins

Durante o evento, a unidade foi presenteada com bola oficial da modalidade
por publicado: 15/02/2017 09h52 última modificação: 15/02/2017 09h57
Colaboradores: Lúcia Gomes
Atleta paralímpico durante o curso de Goalball

Atleta paralímpico durante o curso de Goalball

Na última segunda-feira, 13, o atleta da seleção brasileira de goalball, Leomon Moreno, medalhista de bronze nas paralimpíadas do Rio de Janeiro em 2016, esteve no Campus Paraíso do Tocantins do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) para participar do primeiro curso da modalidade no Estado. A atividade foi ministrada pelo educador físico do Centro Olímpico São Sebastião, de Brasília, Gabriel Goulart Siqueira.

O curso é uma parceria do IFTO com a Confederação Brasileira de Desporto de Deficiente Visual (CBDV) e, segundo Gabriel, é o primeiro realizado nesses moldes no país, com a participação de alunos e educadores da rede pública. “É uma excelente oportunidade de divulgarmos a modalidade e espero que a semente plantada com essa atividade produza frutos aqui no Tocantins e que tenhamos mais pessoas interessadas em praticar o goalball no Estado”.

Durante todo o dia os participantes tiveram a oportunidade de conhecer melhor o esporte. Na parte da manhã, Gabriel apresentou os pontos teóricos da atividade, falou sobre as regras, equipamentos e sobre o treinamento. Já a tarde, colocou todo mundo em campo pra jogar e inaugurar a bola doada pela CBDV ao Campus Paraíso do Tocantins.

A doação da bola oficial foi prometida pela confederação à unidade em novembro do ano passado, quando a iniciativa do professor do campus, Avelino Neto, de utilizar o goalball como meio de integração de Phelipe Mesquita, aluno com deficiência visual, foi parar nas redes sociais. Neto conta que ficou muito feliz em saber que a CBDV tinha se sensibilizado com a história e se comprometeu em ajudar.

A presença de Leomon no curso foi um dos pontos mais marcantes. Sua trajetória de sucesso na vida e no esporte comoveu e motivou os participantes. Phelipe se sentiu representado em várias histórias contadas pelo atleta. “É bom conhecer a história de pessoas que têm dificuldades parecidas com a minha”, revelou o aluno. Durante o momento prático das atividades do curso, ele ainda recebeu dicas e foi instruído pessoalmente por Leomon, experiência que vai ficar guardada na memória do estudante. “Estar perto de alguém que venceu, mesmo vivendo com a deficiência, é algo muito importante pra mim”, contou.

O atleta paralímpico destacou a importância da atividade promovida pelo Campus Paraíso do Tocantins e ressaltou que o esporte é uma ferramenta de inclusão que muda completamente a vida de uma pessoa com deficiência.

Para o estudante do curso de Educação Física, da Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) de Paraíso do Tocantins, que participou da capacitação, as atividades realizadas e os depoimentos de Gabriel e Leomon trouxeram uma nova perspectiva de campo de trabalho para ele e foi importante para conhecer melhor as peculiaridades do goalball e do paratleta.

Já o educador físico Derval Lopes da Silva, que trabalha com alunos da Apae há 4 anos, destacou que, mesmo que ele ainda não tenha acompanhado nenhum estudante com deficiência visual, o curso foi importante para aumentar os conhecimentos que ele já possuía na área.

A estudante Isabella Amaral, umas das colegas de turma de Phelipe, também participou do curso e contou que a presença de Leomon e Gabriel no campus e a doação da bola tornou o trabalho deles ainda mais relevante. “Esse aprendizado sobre o goalball e sobre a inclusão de pessoas com deficiência tomou uma proporção muito grande e ainda serviu para unir mais a nossa turma”, completou.

Segundo o professor Avelino Neto, a intenção é fazer com que o projeto não só continue no Campus Paraíso do Tocantins, mas também levá-lo para outras instituições de ensino quem tenham interesse em realizar atividades de inclusão para alunos com deficiência visual. Ele se colocou à disposição para ajudar os interessados.